A escolha do pediatra

medicina-pediatria-13Essa não foi uma tarefa muito fácil. Como sou apavorada com doença, demorei a encontrar um médico de quem gostasse e que me entendesse. Na consulta de sete dias do Nicolas, fui com o Dr. Marcos Cavalcante, por indicação da Liege. Ele é um excelente médico. Mas ao me queixar que estava há uma semana sem dormir por causa da amamentação do bebê, ele me lançou um: “são dois anos sem dormir”. Era a última coisa que eu queria ouvir e não voltei mais. Quer dizer, voltei um ano e meio depois e fiz as pazes com ele. Voltarei mais vezes se for necessário, mas ele só atende particular.

Depois dele fui com a Dra. Ledy (Maria Ledicleide), pediatra da Sabrina, irmã do Nicolas. A princípio, não gostei muito. Com um bebezinho, a gente – mãe de primeira viagem – precisa tirar dúvidas bestas e uma ligação resolve, mas ela não dá o celular. Desisti.

Fui com a Dra. Graça Mateus. Gostei dela. Bem atenciosa e dava o celular. Um belo dia adoeceu e sumiu. Parou de atender. Voltei para a Dra. Ledy e com ela estou até hoje. Já aprendi que se precisar de uma informação, ligo para a secretária que se comunica com ela. E se for algo mais urgente, é o jeito ir ao Pronto-Socorro.

Mas um tempo desses, a Dra. Ledy também adoeceu. Quebrou o braço e ficou um tempão sem atender. Foi justamente aí que precisei de um pediatra. Foi quando Nicolas teve giárdia que emendou com uma gripe forte.

Encontrei o Dr. Walderuy no PS da Unimed. E gostei dele. Passei a ir com ele até a Ledy voltar a atender.

A relação com o pediatra tem que ser de extrema confiança. E essa relação de amizade tem que ser construída. O médico precisa conhecer nosso filho. Eu gosto dos médicos mais velhos. Talvez por achar que eles têm mais experiências. A Dra. Ledy, por exemplo, descobriu a síndrome pé-mão-boca no Nicolas, doença da qual eu nunca ouvira falar, assim que entrei no consultório. E, assim como eu, ela gosta de usar terapias alternativas. Receita chás e xaropes naturais.

É bem atenciosa e preocupada. E atende todos os dias, assim como o Walderuy. O problema – ou não – é a espera. As consultas dela são bem demoradas. Então, você gasta muito tempo esperando.

Estou fazendo tratamento homeopático para amigdalite também. Se der certo, conto aqui.

Por Mariane Cruz

Anúncios

Publicado em 19 de junho de 2014, em Papo Sério e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: